A Síndrome de é uma complicação da pré-eclâmpsia que coloca em perigo a vida da mãe e do bebê durante a gestação, provocando insuficiência renal, problemas no fígado ou edema agudo do pulmão, por exemplo.

Geralmente, a Síndrome de Hellp é confundida com a pré-eclâmpsia grave porque possuem sintomas semelhantes, no entanto, um sinal característico da Síndrome de Hellp é a dor perto da boca do estômago.

A Síndrome de Hellp tem cura se for tratada o mais rápido possível por um obstetra, porém, pode ser necessário interromper a gravidez.

Sintomas da Síndrome de Hellp

O principal sintoma da Síndrome de Hellp é a dor perto da boca do estômago, mas outros sintomas são:

• Dor de cabeça;
• Alterações na visão;
• Pressão arterial alta;
• Mal-estar geral;
• Náuseas e vômitos;

A gestante que apresentar sinais e sintomas da Síndrome de Hellp deve consultar imediatamente o obstetra ou ir ao pronto-socorro, principalmente se sofrer de pré-eclâmpsia, diabetes, lúpus ou problemas no coração ou nos rins.

Os sintomas da Síndrome de Hellp, normalmente, surgem durante a gestação, mas também podem acontecer no pós-parto.

Como tratar a Síndrome de Hellp

Para tratar a Síndrome de Hellp, é necessário que a grávida fique internada no hospital, para que o obstetra possa avaliar constantemente a evolução da gravidez.

O tratamento para Síndrome de Hellp depende da idade gestacional da mulher, sendo que é comum que, após as 34 semanas, se provoque o parto precoce, para evitar a morte da mulher e o sofrimento do feto.

Já quando a grávida tem menos de 34 semanas, podem ser feitas injeções de corticoesteroides na veia, como Betametasona, para desenvolver os pulmões do bebê para que se possa adiantar o parto. Porém, quando a grávida tem menos de 24 semanas de gestação, este tipo de tratamento pode não ser eficaz, sendo necessário fazer a interrupção da gravidez.

Fonte: Tua Saude