Dentre as diversas práticas assistenciais prestadas aos pacientes com câncer avançado, destaca-se o cuidado aos pacientes portadores das feridas neoplásicas.

Estima-se que cerca de 5% a 10% dos pacientes oncológicos são acometidos por estas feridas, seja em decorrência do tumor primário ou de tumores metastáticos.

Este conhecimento ainda está incipiente e sendo conduzido pelo raciocínio adotado em outras feridas categorizadas como feridas crônicas, como as úlceras diabéticas e vasculogênicas onde a cicatrização é almejada.

No tratamento de feridas oncológicas, o objetivo é geralmente lidar com o exsudado, o odor, a hemorragia e a dor. Adicionalmente, é importante ter cuidado para prevenir a infecção da ferida, que se torna um risco bastante grande quando a ferida tem um exsudato (fluído da ferida) abundante.

Mantenha a ferida limpa para evitar infecções e minimizar a dor.

Os sinais de infecção incluem:

-Um aumento ou alteração na dor
-Odor proveniente da ferida
-Aumento do rubor
-Edema
-Um aumento na quantidade e cor do exsudato (fluído) a partir da ferida
-Temperatura alta

Fonte: Molnlycke