O termo emergência médica identifica-se com problemas de saúde que necessitam de cuidados especializados imediatos para evitar a morte ou complicações graves no indivíduo, e a urgência médica é definida como aquela situação que afeta ou coloca em perigo a saúde de uma ou de mais pessoas.Considerando o crescimento da demanda por serviços nesta área nos últimos anos, devido o aumento do número de acidentes e da violência urbana e a insuficiente estruturação da rede assistencial, que têm contribuído para a sobrecarga dos serviços de urgência e emergência disponibilizados para o atendimento da população, surge a necessidade de implantação do serviço de APHM.

A Portaria Nº 2048/GM, de 5 de novembro de 2002, que normatiza este serviço, estabelece regras que vão desde a especialização da equipe até as características dos veículos e equipamentos a serem utilizados nas ambulâncias. Implantado no Brasil, em setembro de 2003, o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) é um serviço gratuito criado para prestar atendimento médico pré-hospitalar e, a depender da gravidade da situação, o paciente pode sair do domicílio, da via pública ou da unidade básica de saúde e ser encaminhado, diretamente, por meio do SAMU, para o hospital terciário.Tal serviço é caracterizado como o atendimento que procura chegar precocemente à vítima,após ter ocorrido um agravo à sua saúde (de natureza clinica, cirúrgica, traumática, inclusive psiquiátrica), que possa levar a sofrimento, sequelas ou mesmo à morte, sendo necessário prestar-lhe atendimento e/ou transporte adequado a um serviço de saúde devidamente hierarquizado e integrado ao Sistema Único de saúde.

Este serviço móvel procura chegar à vítima nos primeiros minutos após ter ocorrido o incidente, sejam pacientes adultos, pediátricos ou gestantes, em espaços públicos ou em seus domicílios.Pode ser caracterizado como primário, quando o pedido de socorro for oriundo de um cidadão, ou secundário, quando a solicitação partir de um serviço de saúde, no qual o paciente já tenha recebido o primeiro atendimento necessário a estabilização do quadro de urgência apresentado, mas necessite ser conduzido a outro serviço de maior complexidade para a continuidade do tratamento.No contexto do APHM, as ações são divididas
em suporte básico e suporte avançado de vida. O Suporte Básico de Vida (SBV) é definido como sendo a estrutura de apoio oferecida a pacientes com risco de mortes desconhecidas, promovidas por técnico ou auxiliar de enfermagem e um condutor/socorrista, por meio de medidas conservadoras não-invasivas, como por exemplo, a imobilização em prancha longa. Por atenderem casos de baixa complexidade, há maior número dessas viaturas, já que recebem um número mais elevado de atendimentos. Podem, ainda, atender
vítimas em estado grave, como apoio às viaturas de Suporte Avançado de Vida (SAV).

No contexto do APHM, as ações são divididas em suporte básico e suporte avançado de vida. O Suporte Básico de Vida (SBV) é definido como sendo a estrutura de apoio oferecida a pacientes com risco de mortes desconhecidas, promovidas por técnico ou auxiliar de enfermagem e um condutor/socorrista, por meio de medidas conservadoras não-invasivas, como por exemplo, a imobilização em prancha longa. Por atenderem casos de baixa complexidade, há maior número dessas viaturas, já que recebem um número mais elevado de atendimentos. Podem, ainda, atender vítimas em estado grave, como apoio às viaturas de Suporte Avançado de Vida (SAV).deve estar vinculado a uma Central de Regulação de Urgências e Emergências. A central deve ser de fácil acesso ao público, por via telefônica, em sistema gratuito (192 como número nacional de urgências médicas ou outro número exclusivo da saúde, se o 192 não for tecnicamente possível), onde o médico regulador, após julgar cada caso, define a resposta mais adequada, seja um conselho médico, o envio de uma equipe de atendimento ao local da ocorrência ou ainda o acionamento de múltiplos meios. O número de acesso da saúde para socorros de urgência deve ser amplamente divulgado junto à comunidade.

Fonte: Nome da Fonte: Artigo Cientifico - Scielo