A assistolia é representada pela ausência total de atividade elétrica no músculo cardíaco.

Podemos destacar os principais fatores que podem provocar a assistolia, são eles:
• Distúrbio do sistema de condução do impulso elétrico;
• Indução anestésica;
• Distúrbios hidroeletrolíticos;
• Hipóxia tecidual.

A assistolia é caracterizada por traçado isoelétrico observado no eletrocardiograma ou no monitor cardíaco. É um mecanismo frequente de parada cardíaca intra-hospitalar principalmente em unidades de terapia intensiva, tanto adulto quanto infantil, sendo comumente associada à hipoxemia.

Geralmente, a assistolia é a evolução final das demais modalidades de paradas cardiorrespiratórias não atendidas adequadamente ou em tempo hábil. Ela é chamada também de morte súbita por uma morte natural devido a causas cardíacas na maioria das vezes, manifestando-se como uma perda súbita de consciência, geralmente no espaço de uma hora após o início dos sintomas agudos.

Outras formas de morte súbita podem não ter origem cardíaca, tais como doenças respiratórias, casos de asfixia, também devido à toxicidade ou envenenamento, anafilaxia ou trauma.A causa comum de assistolia é quando um bloqueio no fluxo sanguíneo coronariano, que, em casos graves alteram a excitabilidade, afetando a frequência cardíaca, uma situação que é chamada de hipóxia do miocárdio.Quando identificarmos um caso de assistolia devemos rapidamente iniciar as manobras de ressuscitação cardíaca. É importante verificar também se os cabos dos monitores estão conectados corretamente no paciente.

Fonte:Portal Educação