A rinoplastia é a cirurgia plástica indicada para correção estética do nariz, existem inúmeras possibilidades: aumentar ou diminuir o nariz, dar projeção à ponta, afinar as asas nasais e até diminuir a giba óssea, que é com os médicos chamam o "osso" ou "calo" do nariz. A prática da rinoplastia é bastante antiga.

Estima-se que tenha sido desenvolvida entre o final do século 19 e o início do século 20. Obviamente, nos dias atuais, há um amplo conhecimento da fisiologia nasal, bem como da anatomia do segmento nasal. Com isso, há uma constante evolução das técnicas de plástica nessa região. "Das primeiras rinoplastias, feitas por via endonasal (fechada), às chamadas exorrinoplastias, feitas diretamente na estrutura do órgão (por via aberta), houve um progresso não só em relação às técnicas cirúrgicas empregadas, cada vez mais precisas, como no que diz respeito à recuperação dos pacientes, cada vez mais rápida", conta cirurgião plástico Gerson Luiz Júlio, membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica.

Indicações

A rinoplastia é a cirurgia plástica indicada para quem está insatisfeito com o formato natural do nariz. Muitas vezes a cirurgia é associada a outros procedimentos nasais, como a correção do septo nasal e a turbinectomia, que é a retirada de parte dos cornetos nasais, a popular carne esponjosa, que costuma aumentar na presença de alergias, como a rinite. A rinoplastia pode ser feita a partir dos 15 anos de idade, idade em que o desenvolvimento do facial do paciente já está concluído.

Como é feita a rinoplastia

Existem duas técnicas usadas para a rinoplastia: a aberta (exorrinoplastias) ou fechada (endonasal). Na técnica aberta é feita uma pequena incisão na base do nariz, entre as narinas, e na parte interna de cada narina. Na técnica fechada, há incisões apenas dentro das narinas."A técnica da rinoplastia aberta é mais indicada nos casos em que há a necessidade de grandes alterações na ponta do nariz", explica o cirurgião plástico Wagner Montenegro. "Mas nesses casos também pode ser utilizada a técnica fechada, portanto fica a critério do cirurgião plástico qual será o tipo adotado".

Um ponto importante é que a rinoplastia fechada é um procedimento que exige grande qualificação do profissional, pois ela é realizada sem a visão do cirurgião, ou seja, o cirurgião plástico trabalha às escuras, já que a pele do nariz do paciente não é levantada. Na técnica fechada há algumas vantagens, como o procedimento ser um pouco mais ágil, o resultado final proporcionar ao nariz uma consistência mais natural, a recuperação mais rápida do que na cirurgia aberta e não ficar nenhuma cicatriz aparente.

Apesar da maioria dos pedidos referirem-se à diminuição e remodelamento, há casos em que pode ser feito o aumento nasal, através do enxerto de cartilagem, implante de próteses ou preenchimento no local. Para a diminuição do tamanho do nariz, são retiradas partes da cartilagem e/ou é realizada a raspagem e o lixamento do osso.

A fratura do osso nasal é realizada apenas em casos específicos, avaliada anteriormente durante o exame físico, no intuito de diminuir, o "ossinho" do nariz, e ainda a base alargada. Nesses casos, respectivamente, a fratura é feita para compensar a raspagem óssea, que diminui a massa óssea do local, estimulando a formação óssea do local e para afinar o nariz de pessoas que tem a base muito larga. Quem sofreu alguma fratura prévia, que deixou o nariz torto, também pode precisar da fratura nasal para ajustá-lo. A anestesia pode ser a geral ou até local com sedação, caso seja usada a geral, será necessária a intubação do paciente e a respiração será auxiliada por aparelhos (apenas durante o procedimento cirúrgico). A cirurgia demora, aproximadamente, duas horas. O paciente que passa pela rinoplastia é liberado no mesmo dia. Nos casos da cirurgia de rinoplastia associada à cirurgia funcional, o paciente deve ficar internado por um período de 12 a 24 horas.

Procedimentos associados à rinoplastia

Também é comum associar à rinoplastia a outros procedimentos nasais , como a correção do septo nasal e a turbinectomia. Neste caso, é recomendado que a cirurgia seja realizada pelo cirurgião plástico e o otorrinolaringologista. Podem também ser realizadas em conjunto outras cirurgias plásticas faciais, como a blefaroplastia (cirurgia das pálpebras).

Exames necessários para a rinoplastia

Além dos exames necessários antes de qualquer procedimento cirúrgico (exames de sangue, avaliação cardiológica, dosagem de sódio, potássio, ureia e creatinina e coagulograma), o médico pode pedir algum exame de imagem, como a tomografia computadorizada, para avaliar com mais detalhes a estrutura nasal. Nos casos em que estão associadas cirurgias funcionais, como a correção do septo nasal, serão necessários: raio-x da face e nasofibroscopia.

Pós-operatório

Curativos

No passado, era utilizado o gesso no pós-operatório. Hoje ele foi substituído por um plástico enrijecido, que dá uma fixação melhor e é mais higiênico. "Ele fica mais tempo imóvel, se molda de maneira mais eficiente ao nariz e pode ser molhado em algum caso" explica o cirurgião plástico Esmail Saffadine, membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica. Os curativos são mantidos por 15 dias, sendo sete dias com plástico enrijecido e sete somente com fita adesiva porosa. Os tampões internos ficam por um dia

Respiração e alimentação

A respiração fica dificultada logo nos primeiros sete dias pela presença de coágulos nas narinas, melhorando com o uso de descongestionantes nasais indicados pelo cirurgião. Por pelo menos sete dias é indicada que a alimentação seja mais pastosa pois, como a região estará dolorida e inflamada, o ideal é evitar alimentos duros, que exigem mastigação mais forte e pode gerar incômodo.

Repouso

O repouso deve ser absoluto por sete dias e moderado até o décimo quinto dia. Depois deste período já é possível voltar às atividades rotineiras e ao trabalho, sem que se faça esforço físico e exercícios, estes são indicados apenas após um tempo de dois a três meses.

Dor

O pós-operatório normalmente é sem dor, e quando ela aparece é facilmente solucionada com uso de analgésicos habituais. A formação de hematomas é comum e a absorção completa se dá num período médio de 20 dias.

Cicatrizes

As cicatrizes da rinoplastia ficam praticamente imperceptíveis, uma vez que as incisões são pequenas e em locais de pouca exposição. Caso haja algum problema de cicatrização, há tratamentos eficazes para isto. Os tratamentos para cicatrizes muito evidentes vão desde cremes à base de corticoide e placas de silicone que se colocam na cicatriz, até injeções intralesionais de corticoide. Em último caso, é possível ressecar novamente a cicatriz e se for o caso indicar a betaterapia local. "A indicação de todos estes tratamentos depende do grau e da indicação de seu médico", explica o cirurgião plástico Esmail Saffadine.

Protetor solar

Após a rinoplastia é recomendado o uso rigoroso de protetor solar, evitando o aparecimento de manchas, principalmente se houver cicatrizes visíveis.

Sangramento

Poderá haver sangramento através do nariz, principalmente nos primeiros dois dias posteriores à cirurgia e se esta for associada à correção do septo nasal.

Posição ao dormir

Nos primeiros cinco a sete dias após a cirurgia é recomendado que o paciente mantenha-se com a cabeça elevada, com a ajuda de travesseiros, durante o sono. "Nesse período, a possibilidade de sangramento é maior e essa posição evita que o sangue seja aspirado para o pulmão, além disso, a língua é mantida numa posição em que o fluxo de ar é melhor e a respiração bucal também", explica o cirurgião plástico Esmail. Nesse período também deve ser evitado dormir de lado e de bruços, situações em que o nariz pode se chocar contra o travesseiro, causando dor e inflamação.

Outros cuidados

O paciente deve evitar abaixar a cabeça muito rápido, não deve assoar o nariz e só pode usar óculos após a liberação médica.

Fonte: Minha Vida