São medidas obtidas diretamente do paciente. Através das medidas diretas podemos calcular as variáveis indiretas que retratam o desempenho cardíaco.

Frequência cardíaca:

A frequência cardíaca é uma das variáveis mais fácil de ser obtida para a avaliação do estado hemodinâmico. É um componente do débito cardíaco; é um determinante importante do tempo de enchimento diastólico e do volume diastólico final.A frequência cardíaca pode ser palpada ou obtida pelo monitor de ECG.

Pressão arterial sanguínea:

Pressão arterial sanguínea é a medida da tensão exercida pelo sangue nos vasos durante a sístole e a diástole ventricular. Esta medida pode ser obtida indiretamente através do esfigmomanômetro ou, com melhor acurácia, através de um cateter intra-arterial.

Pressão de artéria pulmonar e pressão de oclusão de capilar pulmonar (POAP):

Com a utilização do cateter de artéria pulmonar podemos obter as pressões sistólica e diastólica da artéria pulmonar (PAP) e a pressão de oclusão da artéria pulmonar (POAP). A pressão arterial pulmonar sistólica reflete a pressão gerada pelo ventrículo direito durante a sístole. A pressão arterial pulmonar diastólica reflete a pressão diastólica do ventrículo direito na vasculatura pulmonar.
Quando ocluímos a artéria pulmonar através do cateter, estamos eliminando a influência das pressões do lado direito do coração e, a pressão de átrio esquerdo será refletida.

Pressão atrial direita(PVC):

Pressão de enchimento atrial direito ou pressão venosa central (PVC), tanto em mmHg ou cm de H2O, é obtida através de um acesso venoso central. No cateter de artéria pulmonar podemos utilizar a via proximal. Este valor nos informa sobre a função ventricular direita.

Débito cardíaco:

É a quantidade de sangue bombeado pelo coração por minuto. Pode ser medido a beira leito através do método de termodiluição do cateter de artéria pulmonar. O seu valor nos ajuda a avaliar o desempenho cardíaco.

DC = FC x VS


Variáveis indiretas:

Estas variáveis são obtidas através das medidas diretas e nos permite avaliar o desempenho cardíaco e valores normais relacionados a massa corpórea.

Pressão arterial média:

A manutenção de uma pressão mínima é necessário para a perfusão coronariana e tecidual.

PAM = PAS + (PAD x 2)
3


Onde:


PAS = pressão arterial sistólica
PAD = pressão arterial diastólica
PAM = pressão arterial média


Fonte: Unifesp