Tifo é uma doença bacteriana dividida em dois tipos principais, endêmica e epidêmica. A doença acontece quando a bactéria entra em contato com humanos, normalmente através de vetores como pulgas, piolhos ou carrapatos que as adquiriram de animais como ratos, gatos, gambás, guaxinins e outros.

Tipos

Existem dois tipos principais de tifo, diferenciados pela bactéria que causou a infecção.
Tifo endêmico, normalmente causado pela bactéria typhi Rickettsia, também é chamado de tifo murinho ou "febre de prisão". Ela acontece, normalmente, porque a região em que está tem a população de animais continuamente infectada com a bactéria, que pode passar incidentalmente para os humanos.
Tifo epidêmico é a forma mais severa da doença, que também é conhecida como tifo recrudescente ou esporádico. É causado pela bactéria prowazekii Rickettsia. Também é transmitido por meio de animais e pode infectar um grande número de humanos dependendo das condições locais do ambiente, por exemplo, falta de higiene, extrema pobreza, superlotações, entre outros. Quando a bactéria é reativada no corpo da pessoa que já foi infectada anteriormente, ela contrai a doença de Brill-Zinsser, que é uma forma mais branda de tifo epidêmico.

Sintomas de Tifo

Os sintomas de tifo variam de acordo com o tipo de bactéria que causou a infecção, mas costumam aparecer em uma ou duas semanas depois que a pessoa é infectada. Dentre os sintomas de tifo estão:

Dor de cabeça
Febre alta
Indisposição
Náusea e vômito
Diarreia
Calafrio
Erupção cutânea
Tosse
Dor abdominal
Dor nas articulações
Dor nas costas

No tipo mais grave de tifo a pessoa ainda pode apresentar sensação de torpor, delírios, hipotensão e choques que podem causar a morte.

Tratamento de Tifo

Normalmente o tratamento de tifo envolve o uso dos seguintes antibióticos:
Doxiciclina
Cholramphenicol
Ciprofloxacina

Medicamentos para Tifo

Clordox
Doxiciclina
Somente um médico pode dizer qual o medicamento mais indicado para o seu caso, bem como a dosagem correta e a duração do tratamento. Siga sempre à risca as orientações do seu médico e NUNCA se automedique. Não interrompa o uso do medicamento sem consultar um médico antes e, se tomá-lo mais de uma vez ou em quantidades muito maiores do que a prescrita, siga as instruções na bula.


Fonte: Minha Vida