A presença de sangue na urina é um achado que costuma causar grande preocupação nos pacientes. É obvio para todo mundo que a perda de sangue na urina não é um evento normal. Em geral, uma urina avermelhada ou com coloração escura costuma indicar que há algo de errado no sistema geniturinário.Uma urina com sangue é chamada pelos médicos de hematúria. Nem sempre a hematúria é visível a olho nu. Em alguns casos, a quantidade de hemácias é tão pequena, que só através de exames de urina é possível detectá-la.

Uma grande variedade de doenças pode provocar perda de sangue na urina. Na maioria dos casos, a hematúria costuma ser um dos sinais de infecção urinária. Porém, a existência de sangue na urina pode também ser um sinal de doença grave, como câncer de bexiga ou rins, ou não ter nenhum significado especial, ocorrendo por discretos defeitos nos túbulos renais, que não possuem nenhuma relevância clínica.

Definição de hematúria

A definição mais simples de hematúria é presença de sangue na urina. Porém, na maioria das situações, o paciente com hematúria não se apresenta com uma urina francamente sanguinolenta, avermelhada ou com coágulos visíveis. Em muitos casos, a perda de sangue no trato urinário é tão discreta que não é possível notar a presença de sangue na urina apenas olhando para a mesma. Além disso, a presença de outras substâncias na urina, como bilirrubinas, medicamentos, corantes, mioglobina etc., também podem deixar a urina avermelhada, passando a falsa impressão de haver hematúria. Portanto, para definirmos com segurança que uma urina contém sangue, é preciso submetê-la a análises laboratoriais. O exame de urina mais utilizado para o diagnóstico da hematúria é o EAS (também chamado de urina tipo 1 ou urina tipo 2). A principal célula do sangue é a hemácia (também chamada de eritrócito ou glóbulo vermelho). A investigação laboratorial da hematúria consiste na avaliação da urina com um microscópio, à procura de hemácias. Toda urina contém quantidades mínimas de hemácias. Para ser considerado hematúria, a maioria dos laboratórios usa como referência a existência de mais de 10.000 hemácias por mililitro de urina ou mais de 5 hemácias por campo de grande aumento (campo visto com lente com aumento de 400x).

TIPOS DE HEMATÚRIA

Como existem dezenas de causas para a presença de sangue na urina, a caracterização da mesma ajuda na investigação clínica. Uma hematúria pode ter as seguintes características:

1. Hematúria macroscópica: É a hematúria que pode ser vista a olho nu, pois a urina encontra-se escurecida, avermelhada ou com coágulos de sangue. Este tipo de hematúria é facilmente reconhecida pelo próprio paciente.
2. Hematúria microscópica: É a hematúria que não pode ser vista a olho nu. A aparência da urina é complemente normal, sendo a presença de sangue apenas detectada através do exame de urina. Este tipo de hematúria pode existir por anos sem que o paciente tenha consciência do fato.
3. Hematúria com coágulos: A hematúria com coágulos é um tipo de hematúria macroscópica. A presença de coágulos geralmente indica um sangramento de maior volume, causado por uma lesão visível através de exames de imagem, como ultrassonografia ou tomografia computadorizada do sistema urinário.
4. Hematúria persistente ou transiente: A hematúria, seja ela macroscópica ou microscópica, pode ser persistente, ou seja, está constantemente presente; ou ser intermitente, isto é, aparecer e desaparecer de tempos em tempos.
5. Hematúria dismórfica:Hematúria dismórfica ocorre quando no exame de urina detectam-se hemácias com formato atípico (dismórficas). Isso geralmente é um sinal de doença dos glomérulos renais.
6. Hematúria isolada: Hematúria isolada ocorre quando o paciente não apresenta nenhum outro sinal ou sintoma além da presença de sangue na urina. A maioria das doenças que provoca hematúria causa sintomas, como dor para urinar, febre, dor nas costas, ou outras alterações nos exames laboratoriais, como a presença de proteínas e/ou leucócitos na urina, elevação da creatinina e da urina no sangue.

A presença de sangue na urina quando ocorre sem nenhum outro sinal ou sintoma e com exames laboratoriais persistentemente normais, habitualmente, indica uma doença benigna.


Fonte: MD Saúde