Poliúria é um sintoma comum caracterizado pela produção de urina acima de 2,5 litros por dia. Deve ser distinguida da frequência urinária, que é a necessidade de urinar muitas vezes durante o dia ou noite, mas com volumes normais.O equilíbrio da água em nosso corpo (homeostase) é feito, em grande parte, pelos rins que fazem um balanço entre a ingestão de líquidos com a filtração glomerular, reabsorção de solutos e água, a partir dos ductos coletores renais.Quando se aumenta a ingestão de água, o volume de sangue aumenta causando uma diminuição de osmolaridade do sangue. Essa redução da osmolaridade sanguínea diminui a liberação do hormônio antidiurético (HAD), cuja função no organismo é promover a reabsorção de água nos ductos coletores renais. Com essa redução do HAD, haverá uma menor reabsorção de água após a filtração renal e consequentemente maior produção de urina.

Causas

Poliúria é um sinal clássico de diabetes mellitus que está sem tratamento ou mal controlada. Em adultos, a diabetes mellitus e o uso de medicamentos diuréticos (como a hidroclorotiazida, por exemplo) são as causas mais comuns de poliúria. Também nas crianças, a diabetes mellitus não controlada é a causa mais comum de poliúria.

Na ausência de diabetes mellitus, as causas mais comuns são: Polidipsia primária: lesões que afetam a região do hipotálamo no cérebro
Diabetes insípidus: decorrente de aumento da produção do HAD causando grande absorção de água nos rins após a filtração
Doença renal policística: doença genética caracterizada por múltiplos cistos nos rins e fígado
Anemia falciforme: doença hereditária que causa alteração dos glóbulos vermelhos do sangue
Infecção de rins
Amiloidose: depósitos de uma substância chamada amiloide no rim

Fatores de risco

Considerando que muitas das doenças que cursam com poliúria, como por exemplo, diabetes mellitus, anemia falciforme, doença renal policística e de certa forma a hipertensão arterial sistêmica - em que o medicamento diurético é usado no seu tratamento - são doenças hereditárias, ou seja, a presença de familiares que são portadores dessas doenças aumenta a chance nos demais familiares, deve ser sempre relatado ao seu médico.


Fonte: Minha Vida