É comum escutarmos no dia a dia que uma pessoa é alérgica a um alimento ou um medicamento, por exemplo. Isso significa que o organismo desse indivíduo, ao identificar essa substância, apresenta uma resposta imunológica, combatendo-a de maneira exagerada e dando origem a um quadro de hipersensibilidade, muito conhecido como alergia. No entanto, existem casos nos quais as reações alérgicas se manifestam por meio de complicações muito sérias, rápidas e até fatais, o que recebe o nome de choque anafilático (ou reação anafilática). Tal situação ocorre quando o indivíduo é exposto a algum agente alergênico que estimule muito o sistema imunológico, o que provoca uma reação de hipersensibilidade muito potente e desencadeia sintomas graves.

Entre os agentes alergênicos mais comuns estão:
Alimentos, como, por exemplo, ovos leite, peixes, frutos do mar, amendoim, soja, nozes, amêndoas e trigo.
Medicamentos, como ácido acetilsalicílico (AAS), penicilina e outros antibióticos, aspirina, dipirona e anti-inflamatórios.
Picadas de insetos, especialmente abelhas, vespas e algumas espécies de formigas.
Venenos de escorpiões, aranhas e cobras.
Látex.

O choque anafilático acontece de forma imediata e imprevisível no organismo. Dentro de poucos minutos após o contato com o causador da alergia, os sintomas subitamente começam a aparecer: palidez, coceira e vermelhidão na pele, inchaço, falta de ar, queda da pressão arterial, suor excessivo, aceleração dos batimentos cardíacos, vômito, inconsciência, desmaio, etc. Esses sinais e sintomas são provocados pela ação de mastócitos e basófilos (células de defesa), imunoglobulina E (anticorpo) e pela liberação da histamina, uma substância química vasodilatadora. De todos os sintomas do choque anafilático, certamente o que mais preocupa é o edema de glote (ou edema de laringe), em que a região da garganta incha devido ao excesso de fluido nas células, interrompendo a passagem de ar, o que pode levar o indivíduo à morte dentro de poucos minutos.

Como já dito, o choque anafilático é muito grave e pode ser letal, por isso, requer atendimento médico imediatamente. Nessas condições de emergência, é recomendado acionar uma ambulância, serviços de urgência ou bombeiros, que prestarão os primeiros socorros. Inicialmente, o indivíduo recebe uma dose de adrenalina na veia, que atenua os sintomas, contrai os vasos sanguíneos e libera as vias respiratórias. Em seguida, ele recebe oxigênio através de máscaras, de modo a manter a respiração e oxigenação do cérebro, principalmente. Quando atendida a tempo e adequadamente, a pessoa que sofre um choque anafilático tem grandes chances de sobreviver, mas há a possibilidade desenvolver sequelas. O cérebro, por exemplo, pode ter sua atividade comprometida devido à falta de oxigenação ocasionada por algum dos sintomas. Assim, é necessário ter sempre o acompanhamento de um médico especialista.


Fonte: Info Escola