Os antieméticos compõem uma classe de fármacos que apresentam como principal característica o alívio dos sintomas associados ao enjoo, náuseas e vômitos (êmese). A êmese prolongada leva à exaustão, desidratação, hiponatremia, hipocloremia e, quando severa, até mesmo alcalose, devido à perda exacerbada do ácido clorídrico gástrico. Nesses casos, faz-se necessário o uso de antieméticos, que podem agir tanto localmente, diminuindo a irritação gástrica, como no sistema nervoso central (SNC).
Alimentos de digestão fácil, de consistência pastosa e frios podem causar um certo efeito sedante sobre a mucosa gástrica, do mesmo modo que a água cloroformada e soluções com anestésicos locais administrados por via oral.

Agentes anticolinérgicos, devido ao fato de diminuírem as secreções e motilidade do aparelho gastrointestinal, podem também apresentam efeito antiemético. Dentre estes agentes indica-se, em particular, a escopolamina, especialmente para o controle da cinetose. A piridoxina (vitamina B6) tem apresentado efeito antiemético; contudo, não se conhecem os mecanismos envolvidos nesse processo. Alguns anti-histamínicos, como o dimenidrato e a meclisina possuem efeito antiemético. Este efeito é imputado às propriedades depressoras centrais e anticolinérgicas destes fármacos.

Os bloqueadores de receptores dopaminérgicos como ameoclopramida, a bromoprida e a domperidona são potentes antieméticos, além de auxiliar no esvaziamento gástrico. Estes fármacos não apresentam efeitos sedativos, que são comuns com outros antagonistas dopaminérgicos, como os derivados fenotiazínicos e butirofenonas. O efeito antiemético é atribuído ao bloqueio dos receptores dopaminérgicos da zona deflagradora dos quimiorreceptores que, quando estimulados, resultam na êmese; também apresentam capacidade de evitar a êmese induzida por estímulos que afetam diretamente o centro do vômito. É conhecido também que, a dopamina no estômago é capaz de inibir os movimentos da região do fundo e a amplitude das contrações; deste modo, o bloqueio destes receptores por estes fármacos favorece o esvaziamento gástrico. O antagonista de receptores da serotonina ondansetrona tem-se mostrado eficaz no tratamento de náuseas induzidas por antineoplásicos e, mais recentemente, como antiemético perioperatório. O efeito antiemético é resultante do bloqueio de receptores encontrados na zona deflagradora dos quimiorreceptores e daqueles encontrados perifericamente nos terminais nervosos vagais.


Fonte: Info Escola