Choque cardiogênico é a incapacidade do coração bombear uma quantidade adequada de sangue para os órgãos nobres, causando queda da pressão arterial, falta de oxigênio nos tecidos e acúmulo de líquidos nos pulmões. O choque cardiogênico é uma das maiores complicações do infarto agudo do miocárdio e se não for tratada com urgência, pode levar à morte em 50% dos casos.

Sintomas e sinais do choque cardiogênico

Os sintomas e sinais do choque cardiogênico são:
Pressão arterial baixa;
Elevação da frequência cardíaca;
Palidez;
Extremidades frias e úmidas;
Diminuição do estado de consciência;
Sonolência, fraqueza;
Redução da quantidade de urina.
Nos casos onde há acúmulo de líquido nos pulmões ou edema pulmonar, o paciente também pode apresentar falta de ar e sons anormais na ausculta dos pulmões.

Causas do choque cardiogênico

As causas do choque cardiogênico são as seguintes:
Ataque cardíaco ou infarto agudo do miocárdio;
Doenças das válvulas cardíacas;
Insuficiência ventricular direita;
Miocardite aguda: inflamação do músculo cardíaco;
Doença arterial coronariana;
Arritmias cardíacas;
Trauma direto no coração;
Intoxicação do coração por medicamentos e toxinas;
Estágios terminais de infecção generalizada.
É importante realçar que a causa mais comum para a ocorrência de choque cardiogênico é o infarto agudo do miocárdio extenso.

Diagnóstico do choque cardiogênico

O diagnóstico do choque cardiogênico é feito através dos exames descritos a seguir:
Exame físico: avaliação dos sinais vitais ( presença de hipotensão, aumento da frequência respiratória, hipotermia ou hipertermia, palidez, sudorese)
Exames de laboratório;
Eletrocardiograma;
Ecodopplercardiograma;
Radiografia do tórax.
Para confirmação do diagnóstico de choque cardiogênico, também pode ser realizada a monitorização invasiva através do cateter de Swan-ganz e avaliação dos parâmetros hemodinâmicos.

Tratamento para choque cardiogênico

O tratamento para choque cardiogênico deve ser instituído com a máxima urgência e está baseado nas seguintes condutas:
Internamento na unidade de cuidados intensivos;
Introdução de cateter em uma artéria para avaliar a pressão arterial e sonda na bexiga;
Administração de oxigênio nasal ou ventilação mecânica;
Remédios: vasodilatadores, diuréticos injetáveis, hidratação;
Revascularização precoce do miocárdio;
Angioplastia coronariana: desobstrução de uma artéria coronária por meio de um balão;
Colocação de stent;
Cirurgia para troca da valva cardíaca insuficiente ou estenosada.
Em casos mais graves de choque cardiogênico o paciente pode ser encaminhado para a cirurgia de ponte de safena ou para introdução de um balão com objetivo de melhorar a circulação do coração.

Complicações do choque cardiogênico

As complicações do choque cardiogênico são a falência de múltiplos órgãos nobres como rins, cérebro e fígado, sendo responsável pela maioria das mortes de pacientes internados nos cuidados intensivos.


Fonte: Tua Saúde