A doença da arranhadura do gato, ou Linforreticulose Benigna de Inoculação é uma doença infecciosa. Ela surge em todas as idades, mas são na maioria as crianças que são vítimas. Ela é causada por uma bactéria, chamada Bartonella Henselae, presente no solo, e penetrando no organismo na ocasião de uma pequena ferida cutânea, geralmente uma mordida ou arranhão de gato, da onde vem seu nome. Isso resulta em inflamação dos gânglios linfáticos acima da zona drenada: trata-se geralmente de adenopatias da axila ou do pescoço, após uma lesão da mão ou do braço nas crianças que tem um gato.

Manifestações

Os sintomas da doença das arranhaduras do gato são:
Um dos gânglios inchados e doloridos de um único lado do corpo e em relação a um único membro;
Uma sequela de traumatismo cutâneo de evolução lenta;
Cansaço e perda de apetite;
Febre moderada;
Dores de cabeça;
Dores abdominais às vezes;
Raramente, uma conjuntivite

Diagnóstico

O diagnóstico da doença se faz diante da presenta desses sinais clínicos, e a procura de um contato no mês precedente com um gato, ás vezes o surgimento de um arranhão ou mordida. A presença de um gato no ambiente reforça a suspeita clínica. Em caso de dúvida, um exame de sangue com estudo por sorologia pode confirmar o diagnóstico. Muito raramente, uma biopsia de um gânglio afetado permite a confirmação diagnóstica.

Tratamento

A doença evolui espontaneamente para a cura e é absolutamente sem consequência, daí a falta de necessidade de tratamento. No entanto , por vezes, um antibiótico pode ser usada , o que é o caso nas pessoas cuja defesas do corpo são reduzidos . Os gânglios linfáticos podem ficar inflamadas por dois ou três meses.

Prevenção

Para prevenir a doença da arranhadura do gato, é necessário evitar os arranhões ou mordidas e desinfetar as feridas. É necessário tomar precauções lavando as mãos com água e sabão após tocar um gato e tratar o seu animal contra as pulgas. Não é aconselhado privar as crianças da companhia de um gato, pois elas desenvolvem a sua imunidade natural em contato com o animal.


Fonte: Blog CCM


Fonte da imagem: Vigilância Sanitária