Cristaloides são soluções iônicas isotônicas ou hipertônicas. As mais comumente usadas são a solução salina a 0,9% e o Ringer lactato (isotônicas). Os cristaloides são de baixo custo e atóxicos, mas têm menor poder expansor que os coloides, que têm maior custo e maior risco de efeitos colaterais. Os coloides são soluções de alto peso molecular capazes de exercer pressão oncótica. Os mais usados são a albumina, a dextrana, gelatinas e o amido hidroxietílico. Além de restaurar a volemia, o coloide ideal deveria ter um impacto favorável na modulação do processo inflamatório da sepse, tais como a permeabilidade capilar aumentada, a formação de edema tissular, a disfunção do controle vasomotor, assim como as alterações reológicas causadas pelas anormalidades de ativação e aderência dos neutrófilos. As características fisiológicas e os efeitos clínicos dos coloides, assim como das soluções cristaloides, são bem conhecidos; entretanto, uma descrição minuciosa das mesmas foge aos objetivos desta diretriz. Deve-se ter em mente que a ação dos coloides, sua expansão e sua duração dependem do peso molecular, do tamanho das moléculas, da carga elétrica e de sua metabolização. Alguns pontos devem ser destacados: todos os coloides têm propriedades não-oncóticas, ainda não completamente elucidadas, que podem influenciar a integridade vascular e inflamação; todos os coloides afetam o sistema de coagulação, sendo que a dextrana e o amido têm maior efeito antitrombótico; os coloides restauram o volume intravascular mais rapidamente que os cristaloides em todos os estados de choque, a despeito da permeabilidade vascular.

Cristalóides: soluções isotônicas

Atravessa facilmente a barreira endotelial e tendem a se acumular em maior quantidade no interstício.
Após 1 hora: apenas 20 - 25% do volume infundido permanece no espaço intravascular → Reposição três a quatro vezes maior que a perda estimada.

Soro fisiológico: Vantagens:
• Baixo risco de eventos adversos
• Baixo custo
• Indicada para pacientes com comprometimento da
barreira hemato-encefálica (BHE). Ex: TCE – alcalose
metabólica hiperclorêmica e hiponatremia.

Desvantagens:
• Acidose metabólica hiperclorêmica
• Hipernatremia
Ringer, Ringer Lactato e Plasma Lyte: Vantagens:
• Composição balanceada de eletrólitos
• Capacidade tampão
• Baixo risco de eventos adversos
• Sem distúrbios de coagulação
• Efeito diurético
• Baixo custo
Desvantagens:
• Amplas quantidades necessárias
• Redução de pressão colóido-osmótica
• Risco de super-hidratação
• Edema e hiponatremia
Ringer, Ringer Lactato e Plasma Lyte: Precauções:
• Hipercalemia
Ringer Lactato: Precauções:
• Choque e trauma → capacidade de metabolização do lactato pelos rins e fígado pode estar diminuída → piora da acidose
Cristalóides: soluções hipertônicas
Cloreto de sódio 7,5%, 10% e 20%
Pequenos volumes → Expandem o volume intravascular, elevam a pressão arterial e o débito cardíaco → favorecem o fluxo de água
do interstício para o intravascular.
Podem expandir a volemia em até 10 vezes mais do que a solução de Ringer lactato.[/p]

Principais indicações:
• Choque hemorrágico
• Politrauma
• Hipertensão intracraniana
Cloreto de sódio 7,5%, 10% e 20%
Vantagens:
• Baixo custo
• Necessidade de pouco volume
Desvantagens:
• Efeito benéfico temporário
• Flebite em vasos de pequeno calibre
• Hipertensão se infusão rápida (< 5min)
• Hipernatremia, hipercloremia e hiperosmolaridade → risco de mielinólise e convulsões


Fonte: Hospital Sírio Libanês


Fonte da imagem: SlideShare