Conhecido popularmente apenas como Lúpus, o Lúpus Eritematoso Sistêmico (LES) se trata de uma doença autoimune, ou seja, que acontece quando o sistema imunológico ataca tecidos saudáveis do corpo por engano. Existem mais de 80 doenças autoimunes de que se tem conhecimento, e dentre elas o Lúpus, que ataca mais comumente a pele, articulações, rins e cérebro, é o mais ocorrido.


Ainda não se sabe a causa exata que leva ao desenvolvimento do Lúpus, cujos sintomas podem surgir após o nascimento e em alguns casos anos mais tarde, mas alguns estudos indicam que se deve à soma de vários fatores tais como a hereditariedade, exposição ao sol e interações medicamentosas.

A doença é mais comumente diagnosticada entre mulheres com idade entre 15 e 40 anos, apesar de poder surgir em todas as idades, e em indivíduos afro-americanos, hispânicos e asiáticos.


Existem dois tipos mais conhecidos de Lúpus, sendo o discoide, também conhecido como cutâneo, que leva ao desenvolvimento de manchas vermelhas na pele (principalmente em áreas mais expostas ao sol), e o Lúpus sistêmico, em que outros órgãos são afetados pela inflamação.


Os sintomas da doença dependem da parte do organismo que é afetada, e os mais comuns são: dores nas articulações, febre, dificuldade de respirar, dores no peito, inchaço e rigidez na musculatura, fadiga, feridas na boca, queda de cabelo, ansiedade e mal-estar, aparecimento de ínguas, dores de cabeça, perda de memória, confusão mental, sensibilidade à exposição ao sol, coceira excessiva e manchas vermelhas na pele.


O diagnóstico do Lúpus é um tanto quanto difícil, já que não existem exames que detectem com absoluta certeza a doença, mas ao relatar os sintomas ao médico, o paciente pode ser encaminhado a exames de urina, sangue e a um exame chamado FAN (fator ou anticorpo antinuclear), a fim de procurar evidências da mesma.


Seu tratamento deve ser ministrado ao longo da vida, visto que o Lúpus não tem uma cura mas sim o controle dos sintomas para proporcionar uma qualidade de vida aos pacientes, e varia de acordo com cada tipo e sintoma. No entanto, os tratamentos mais utilizados em casos de Lúpus são: remédios anti-inflamatórios; remédios antimaláricos; remédios corticoides; remédios imunossupressores.

Alguns hábitos podem ser aderidos por quem possui Lúpus ou mesmo por pessoas que querem se prevenir da doença, estes são: evitar exposição ao sol em horários inadequados e fazer sempre o uso de protetor solar, fazer atividades físicas para manter o corpo e a mente saudáveis, evitar o tabagismo (já que a doença pode afetar o sistema respiratório cardíaco) e ter uma alimentação rica em nutrientes.


Fontes de conteúdo: Nursing, Minha Vida, Tua Saúde

Fonte de imagem: Google