A amiloidose é considerada uma doença extremamente rara, e consiste no acúmulo anormal de proteínas amiloide, que são fibras rígidas, em diversos órgãos e tecidos celulares, impedindo o seu funcionamento regular.

Os sintomas da amiloidose podem variar de acordo com o local afetado pela doença, podendo causar palpitações cardíacas, dificuldade de respirar e espessamento da língua, dependendo de qual tipo da doença o paciente possui.

Entre os principais tipos de amiloidose, podemos citar:


- Amiloidose AL ou Primária:
Entre as formas da doença, essa é a mais recorrente, causando principalmente alterações nas células sanguíneas. A medida que a doença progride, outros órgãos também podem ser afetados, como rins, coração, fígado, baço nervos, intestinos, pele, língua e vasos sanguíneos.
Os sintomas causados por este tipo da doença dependem da gravidade de cada caso, sendo comum a ausência de sintomas ou a apresentação de sinais ligados apenas ao coração, como abdômen inchado, dificuldade respiratória, perda de peso e desmaios, entre outros.


- Amiloidose AA ou Secundária:
Este tipo da doença surge devido à presença de doenças crônicas, ou devido a períodos prolongados de inflamação e/ou infeção no corpo, como nos casos de artrite reumatoide, febre mediterrânea familiar, osteomielite, tuberculose, lúpus ou doença inflamatória intestinal.
Os amiloides, neste caso, começam a se depositar nos rins, mas também podem afetar o fígado, o baço, os linfonodos e o intestino, e entre os sintomas mais comuns está a a presença de proteína na urina, que pode levar à insuficiência renal e, consequentemente, diminuição na produção de urina e inchaço corporal.


- Amiloidose Hereditária ou AF:
A amiloidose familiar, também chamada de hereditária, é uma forma da doença causada por alteração no DNA do bebê durante a gestação, ou que foi herdada dos pais.
Neste caso, a doença afeta principalmente o sistema nervoso e o coração, e os sintomas começam a aparecer a partir dos 50 anos de idade ou na velhice, podendo ocorrer casos em que os sintomas nunca aparecem e a doença na verdade não afeta a vida dos pacientes.
Entretanto, nos casos em que os sintomas se apresentam, as principais características são perda de sensibilidade nas mãos, diarreia, dificuldade para caminhar, problemas no coração e nos rins, ou em formas mais graves onde pode ocorrer morte, geralmente em crianças entre 7 e 10 anos.


- Amiloidose Sistêmica Senil:
Esse tipo surge em idosos e, normalmente, causa problemas no coração, tais como insuficiência cardíaca, palpitações, fadiga, inchaço nas pernas e tornozelos, falta de ar e também excesso de urina.
No entanto, a doença pode se apresentar em quadros menos graves e não causar prejuízos ao funcionamento do coração.


- Amiloidose relacionada aos rins:
Ocorre em pacientes que têm insuficiência renal e fazem hemodiálise há muitos anos, pois o filtro da máquina de diálise não consegue eliminar a proteína beta-2 microglobulina do corpo, que acaba se acumulando nas articulações e nos tendões.
Assim, os sintomas causados são dor, rigidez, acúmulo de líquidos nas articulações e síndrome do túnel do carpo, que provoca formigamento e inchaço nos dedos das mãos.


- Amiloidose Localizada:
Acontece quando os amiloides se acumulam em apenas uma região ou órgão do corpo, causando tumores, principalmente na bexiga e nas vias respiratórias, como pulmão e brônquios.
Além disso, os tumores gerados pela doença podem se acumular também na pele, intestino, olho, seio, garganta e língua, sendo mais comum surgir em casos de diabetes tipo 2, câncer de tireoide e após os 80 anos de idade.


Fonte de conteúdo: Tua Saúde

Fonte de imagem: Google