Um novo estudo descobriu que uma simples técnica de respiração, que os pesquisadores americanos conhecem como "Deep Inspiration Breath Hold" (DIBH), possibilita que pacientes com câncer de mama submetidos à terapia de radiação reduzam os riscos de exposição à radiação em seus corações, segundo resultados de análise publicada no "Journal of Medical Radiation Sciences".
Mesmo doses baixas de radiação durante o tratamento de câncer de mama, especialmente entre as mulheres que recebem a radiação na mama esquerda, podem danificar o tecido do miocárdio. A técnica de respiração, que utiliza o padrão de respiração das mulheres para limitar a exposição à radiação, pode reduzir as doses de radiação que atingem o coração de 26,2% a 75%, segundo os resultados da pesquisa.
"Quando você respira profundamente, seu pulmão se expande, afastando a mama do coração enquanto empurra o coração para trás da parede torácica, afastando-o do campo de radiação durante o tratamento, explica Chad DeYoung, co-diretor de oncologia de radiação do "Valley-Mount Sinai Comprehensive Cancer Care", nos Esatdos Unidos. "A técnica pode deslocar o coração em alguns centímetros, o que pode parecer uma medida pequena, mas que na verdade pode fazer uma grande diferença em poupar o coração de receber radiação direta", completa DeYoung.
O monitoramento em tempo real é utilizado para garantir que a radiação seja lançada no tempo exato, através de sensores que monstram o deslocamento do tórax do paciente durante a respiração profunda do mesmo. Isso permite que o radiologista realize o procedimento com maior precisão, no local exato, quando a radiação atinge menos o coração. Isso é possível através de um acelerador linear chamado "TrueBeam". Durante o tratamento, radiação não será liberada caso haja muito ar ou pouco ar no pulmão do pacienmte.
"A técnica de respiração "DIBH" nos permite oferecer tratamento de radiação adequado e altamente direcionado aos pacientes de câncer de mama. Isso é crucial, porque protege o coração do paciente ao garantir que ele receba radiação mínima durante o tratamento", acrescentou Michael Wesson, também co-diretor de oncologia de radiação no "Valley-Mount Sinai Comprehensive Cancer Care".

Fonte de conteúdo: MDLinx
Fonte de imagem: Google