As pessoas que costumam consumir uma cerveja ou uma taça de vinho por vários dias durante a semana podem ser menos propensas a desenvolverem diabetes do que as que consomem muita bebida apenas em uma noite no fim de semana, sugere um estudo da Dinamarca.

Quando os pesquisadores analisaram pessoas que beberam a mesma quantidade total de álcool, descobriram que os homens que espalhavam essa quantidade de bebidas durante três ou quatro dias da semana tinham 27% menos probabilidade de desenvolver diabetes do que os homens que bebiam essa quantidade em apenas um dia.

As mulheres, entretanto, apresentaram probabilidade de desenvolver diabetes 32% menor quando espalharam a quantidade de bebida em vários dias, em vez de consumi-la em uma única noite.

Contudo, essa não é uma indicação para que se consuma bebida alcoólica todos os dias, diz a autora sênior do estudo Janne Tolstrup, da "University of Southern Denmark". "Eu não aconselharia uma pessoa que não consome bebida alcoólica a começar a beber para melhorar sua saúde", afirma Tolstrup.

"Geralmente, as pessoas devem cumprir as indicações já existentes", que na maioria dos países tem um máximo de 7 bebidas por semana para mulheres e 14 para homens, acrescentou Tolstrup.

No atual estudo, os pesquisadores tinham como objetivo verificar o quanto a quantidade total de álcool consumida durante uma semana poderia explicar as diferentes margens de risco de diabetes encontradas em pesquisas anteriores.

Eles examinaram os dados de 70.551 homens e mulheres que não tinham desenvolvido diabetes até o início do estudo, e metade desses participantes participaram do estudo por 5 anos ou mais. Durante o estudo, 859 homens e 887 mulheres desenvolveram diabetes.

Como outros estudos relacionados à diabetes e consumo de álcool, a análise atual encontrou menor risco para as pessoas que consomem quantidades moderadas de álcool.

Comparados com os que não fazem uso de bebida alcoólica, os homens que consumiam 14 bebidas por semana tiveram uma probabilidade 43% menor de desenvolver diabetes, e as mulheres que consumiam 9 bebidas semanalmente tiveram uma probabilidade 58% menor de desenvolver diabetes.

O estudo não incluiu as pessoas que bebiam compulsivamente, e nem encontrou evidências claras que demonstrassem que o consumo excessivo de álcool pode ser bom ou ruim em relação ao risco de desenvolvimento de diabetes.

O que as pessoas bebem, no entanto, parece fazer diferença. Os participantes que consumiam pelo menos 7 taças de vinho por semana tiveram de 25 a 30% menos probabilidade de desenvolver diabetes do que as que consumiam apenas uma taça de vinho.
Já a cerveja demonstrou ajudar apenas os homens. Consumir de uma a seis cervejas por semanas foi associado a 21% a menos de probabilidade de desenvolver a doença em relação aos que consumem menos que isso.

O estudo não foi um experimento controlado projetado para provar se, ou como, o consumo de álcool influencia as chances de desenvolver diabetes.

No entanto, devemos ser céticos quanto aos benefícios do consumo de álcool. "Há uma série de riscos para a saúde associados inclusive com o consumo moderado de álcool, o que inclui o desenvolvimento de múltiplos cânceres do sistema digestivo, bem como câncer de mama e possivelmente câncer de próstata", disse Stockwell, diretor do "Center for Addictions Research" e professor da "University of British Columbia, Vancouver, Canada", que não estava envolvido no estudo. "As pessoas devem consumir bebidas alcoólicas moderadamente e por prazer, e não com a ideia de que terá benefícios medicinais".

Fonte de conteúdo: MD Linx
Fonte de imagem: Google