A Comissão de Ozonioterapia instituída pelo Conselho Federal de Enfermagem apresentou à plenária, nesta segunda-feira (25/3), relatório final. O documento, aprovado na 502ª ROP, será encaminhado para a emissão de parecer do conselheiro Gilvan Brolini.

"A regulamentação do uso da técnica por enfermeiros busca garantir a segurança do paciente e estabelecer marcos normativos, inclusive quanto à certificação dos equipamento de produção de ozônio medicinal devidamente certificado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa)", explica a conselheira Márca Anésia, primeira relatora do tema no Cofen.

A Ozonioterapia consiste na administração terapêutica de ozônio, gerando aumento da oxigenação tecidual e do metabolismo. As concentrações e modo de aplicação variam de acordo com a afecção a ser tratada, já que a concentração de ozônio medicinal determina o efeito biológico e o modo de aplicação relaciona-se à sua ação no organismo.

Com diversos usos na Medicina e Odontologia, a técnica está em expansão na Enfermagem, como terapia complementar capaz de auxiliar na cicatrização de feridas extensas e contribuir para evitar amputações, entre outros usos.


Fonte de texto: www.cofen.gov.br

Fonte de imagem: guiadoestudante.abril.com.br