O profissional de enfermagem é uma das peças fundamentais na área da saúde, pois além de auxiliar nas atividades físicas e emocionais de seus pacientes acaba se tornando parte da família. E, no último domingo, 12 de maio, foi dia de comemoração - a celebração do dia internacional do enfermeiro.

Segundo a enfermeira e especialista em Nefrologia, Aline Xavier, o especialista é responsável por dar estabilidade ao enfermo, preservando a saúde e o bem estar do mesmo. "O enfermeiro é quem mantém contato direto com o paciente, que fica à beira leito e estimula o autocuidado e, muitas vezes, faz para o paciente o que ele não consegue fazer sozinho", relata. Além disso, ela o destaca como o elo de ligação entre os demais profissionais da área hospitalar com o paciente.

De acordo com a nefrologista, existem três tipos de profissionais em atuação, sendo eles: o enfermeiro, cuja formação é de nível superior; o técnico em enfermagem, com capacitação técnica (nível médio); e o auxiliar de enfermagem, com a certificação de ensino fundamental. Com níveis de escolaridade distintos, todos podem atuar em diferentes campos da saúde, trabalhando com múltiplos tipos de doenças.


O enfermeiro pode se especializar em uma gama de áreas dentro da profissão, como por exemplo na nefrologia, atuando com pacientes portadores de doença renal crônica; enfermeiros obstetras, intensivistas e emergências; em bloco cirúrgico e gestão hospitalar; em cuidados do lar; tratamento de feridas; no campo acadêmico; na área da estética, e outros. Mas, eles podem ir além, trabalhando como enfermeiros empreendedores e investindo no próprio consultório de enfermagem, com o intuito de realizar consultas individualizadas visando o melhor cuidado e em propiciar maior qualidade de vida aos seus pacientes.

"Bons enfermeiros são aptos a trabalharem em qualquer área de assistência à saúde, realizando desde procedimentos mais simples aos mais complexos. Para isso, basta muita dedicação aos estudos, ter interesse em aprender, aplicar a disciplina e a ética, promover um bom relacionamento interpessoal e ser pró ativo", afirma a profissional em enfermagem.

Ao ser questionada de como o profissional de enfermagem se difere dos demais profissionais, Aline argumenta que o enfermeiro está presente em todos os momentos do tratamento. O especialista realiza o atendimento e participa das primeiras orientações de cada enfermo, auxiliando nas suas necessidades e, posteriormente, o direciona ao profissional competente, por meio de um trabalho multiprofissional, ou seja, em conjunto com o restante da equipe médica. Para a nefrologista, o enfermeiro é capacitado a prescrever os cuidados por meio de seu conhecimento e aproximação com os problemas relatados, o caracterizando como um profissional humanizado, que auxilia na promoção à saúde.


"O enfermeiro organiza o trabalho, pois é dele a responsabilidade de liderar uma equipe e direcionar como será feito o melhor zelo. Cabe ao profissional, independente da área de atuação que escolher, coordenar, planejar, avaliar e supervisionar a assistência prestada pela equipe de saúde", afirma.

Para um atendimento de excelência é preciso, também, investir em bons equipamentos. A enfermeira explica que, nas suas tarefas, por trabalhar com pacientes com doença renal crônica, são utilizados equipamentos de ponta, como máquinas que realizam hemodiálise e dialisadores, objetivando que o processo de diálise ocorra, balanças de pesagem, assim como aparelhos de higienização individual dos materiais usados pelos pacientes, dentre outros. Em casos de urgência, por exemplo, como numa parada cardiorrespiratória, é necessário que o hospital tenha uma sala de emergência com o material completo: aparelho de eletrocardiograma, cardioversor, dentre outros aparelhos cruciais.

Quais os desafios enfrentados pelo enfermeiro e o que pode ajudar na agregação deste profissional?
Assim como as demais profissões, existem barreiras cotidianas a serem enfrentadas pelo enfermeiro na execução de seu trabalho, como a desvalorização do profissional em seu exercício, elencada pela enfermeira Aline. Buscando amenizar isso, foi lançado no mês de abril a campanha Nursing Now, com a intenção de promover debates para auxiliar no empoderamento e avanço da profissão. Outra consideração interessante a ser feita é a criação de políticas públicas para aprimorar a qualificação do profissional.


Mais um ponto debatido é o da má qualidade do ambiente de trabalho, acarretando no atraso do atendimento e, consequentemente, comprometendo a segurança dos pacientes, atrapalhando o fluxo migratório de pessoas e de materiais dentro do hospital. A ausência de profissionais qualificados e a escassez nos materiais é alta, causando problemas nas demandas hospitalares e atrasando os serviços, o que acaba resultando em um atendimento ruim, em alguns casos. Outro fator de insatisfação é o baixo nível salarial.

"Observamos uma grande quantidade de enfermeiros acumulando empregos, até três, para manter a família, e, isso, ocasiona consequências negativas na vida do profissional, como a insatisfação e a desmotivação com o seu exercício, falhas na assistência e, também, acidentes de trabalho", descreve.

Outra das pautas para melhoria no desenvolvimento do profissional de enfermagem é o reconhecimento por parte da população e dos demais colegas em atuação na área da saúde. Se isso ocorresse, Aline declara que já os deixaria muito contentes e, com a implementação de projetos que os incentivem a trabalhar de forma satisfatória, ocasionaria benefícios tanto para si quanto para a população em geral. A redução da carga horária para 30 horas, que já faz presente em algumas cidades do Brasil, também amenizaria a sobrecarga de trabalho que lhes é imposta, o que seria mais um ponto positivo no trabalho cotidiano.

Quais áreas são mais procuradas e como se destacar como profissional de enfermagem?
As áreas que se destacam dentro do campo de enfermagem, com um bom orçamento financeiro, são: UTI, obstétrica, nefrologia, hemodinâmica, cardiologia, gestão em saúde e urgência e emergência. Mas, segundo a enfermeira, o sucesso profissional depende da região e da qualificação, por isso é importante que busque aprimorar os conhecimentos por meio de palestras, cursos e especializações. Qualificação é a palavra chave do sucesso.

Aline sublinha que a meta do enfermeiro é promover bem estar, e não se limita ao enfermo, mais também aos seus familiares, principalmente aqueles que se encontram em cuidados paliativos. Portanto, oferece motivação física e emocional para sua equipe, pacientes e seus familiares.

"É necessário ter empatia pelos pacientes e seus familiares para humanizar o atendimento. Além de dominar toda a teoria, o profissional de enfermagem precisa ter raciocínio critico, saber trabalhar em uma equipe, ter uma visão empreendedora e sustentável, possuir uma comunicação efetiva e assertiva, ser ético e comprometido com que faz. Todas essas competências unidas formarão um profissional de destaque", destaca a enfermeira.


O enfermeiro é um profissional que abrange sua área de forma empoderada, envolvendo todo o seu amor com um olhar sensível e desafiador. No qual busca dar flexibilidade em seus cuidados, colocando sempre a saúde de seus pacientes em primeiro lugar de forma humanizada.



Reportagem: Raquel Lima