Em algum momento da vida alguém se machucou ou acabou se ferindo em casa e precisou recorrer ao hospital pois, não sabia como fazer seu próprio curativo em casa. Nesse momento de pandemia devido ao novo coronavírus muitas pessoas têm evitado ir ao hospital em situações que não são consideradas graves como o caso de certas feridas. Por isso, é importante saber como fazer seu próprio curativo.


Antes de tudo vale salientar que em casos de feridas simples como por exemplo, um pequeno corte no dedo, é necessário lavar as mãos e, se possível calçar umas luvas limpas, para evitar contaminar a ferida.


Já em relação a outras feridas consideradas mais complicadas como os casos de queimaduras ou escaras, os cuidados necessários são outros. Dependendo da situação será preciso ir ao hospital ou posto de saúde para fazer o curativo, para evitar outros problemas como a chamada morte dos tecidos e infecções graves.

Principais tipos de curativos


Primeiramente, antes de fazer qualquer curativo é preciso ter em casa alguns produtos como o soro fisiológico, iodopovidona, band-aid e ligaduras, por exemplo. A dica para quem deseja ter todos os materiais necessários é pesquisar sobre o que deve conter em um kit de primeiros socorros ou adquiri-lo completo com todos os produtos dentro.


Curativo simples


O curativo simples é indicado em casos de cortes, para isso deve-se:

1- Lavar a ferida com água fria corrente e sabão neutro ou soro fisiológico;

2- Secar a ferida com gaze seca ou pano limpo;

3- Cobrir a ferida com gaze seca e prende-la com um esparadrapo, band-aid ou curativo pronto, que se vende nas farmácias e drogarias.

Em situações em que a ferida é grande ou esteja suja o ideal é, após lavar a ferida, passar um produto antisséptico, como iodopovidona, por exemplo. Entretanto, esta substância só deve ser usada até o momento, no qual, se forma uma casquinha, pois, depois disso a ferida está fechada e não apresenta risco de desenvolver bactérias.

Vale lembrar que produtos antissépticos não devem ser usados de imediato em feridas simples, a preferência é usar a água ou o soro fisiológico. Porém, em casos em que há um elevado risco de a ferida infeccionar, produtos como o Merthiolate ou Povidine, podem ser indicados.


A troca do curativo deve ser feita em até, no máximo, 48 horas, sempre que o curativo estiver sujo ou então, segundo a recomendação de um enfermeiro.


Em condições graves como cortes profundos ou quando a ferida está sangrando muito, é necessário fazer o mesmo procedimento, porém, também é recomendado ir ao hospital ou pronto socorro, imediatamente porque a pessoa ferida precisa ser avaliada pelo médico para que o profissional da saúde veja se será preciso dar pontos ou colocar grampos.


Curativo para escaras


O correto é que o curativo para escaras seja sempre feito por um enfermeiro, mas, se o curativo acabar se soltando durante à noite ou então molhe durante o banho, é recomendado:

1- Lavar a ferida com água da torneira mesmo com temperatura fria ou lavar com soro fisiológico, sem tocar com as mãos no machucado;

2- Secar a ferida com gaze seca sem pressionar ou raspar;

3- Tampar a ferida com outra gaze seca e prender a gaze com um esparadrapo;

4- Posicionar a pessoa na cama sem pressionar a escara;

5- Ligar para o enfermeiro e informar que o curativo da escara saiu.

Escaras são feridas muito sensíveis e por isso os curativos devem ser feitos com gaze e pensos esterilizados para prevenir infeções.


É essencial que o curativo seja refeito por um enfermeiro, pois, na maioria dos casos o curativo acompanha o uso de pomadas ou materiais que ajudam na cicatrização, além das gazes ou esparadrapos. A pomada de colagenase é um exemplo de produto utilizado que ajuda a remover o tecido morto, permitindo que o novo cresça de forma saudável.

Curativo para queimadura


Em situações, na qual, a pessoa se queima com água quente, óleo de fritar ou chama de fogão, a pele fica avermelhada e dolorida, sendo assim, pode ser necessário fazer um curativo. É necessário:

1- Deixar na água fria corrente por mais de 5 minutos para resfriar a ferida;

2- Aplicar creme hidratante com efeito refrescante e calmante ou um creme à base de cortisona que se compra nas farmácias;

3- Tampar com gaze limpa a queimadura e prender com um esparadrapo.

Para os casos mais graves de queimaduras, no qual, aparecem bolhas e a dor seja intensa deve-se procurar um pronto socorro, pois talvez seja necessário tomar analgésicos pela veia para aliviar a dor.

Quando devo ir ao médico?


Boa parte das feridas que ocorrem podem ser tratadas sem ir no hospital, porem se a ferida demorar muito tempo para começar a cicatrizar ou se surgirem sinais de infecção como dor forte, vermelhidão intensa, inchaço, saída de pus ou febre acima de 38º C, é necessário procurar um pronto-socorro para avaliar a ferida e iniciar o tratamento adequado.

Há também os casos de feridas com maior risco de infecção, como as provocadas por mordeduras de animais ou por objetos com ferrugem, por exemplo, devem ser sempre avaliadas pelos profissionais da saúde adequados como o médico ou o enfermeiro.

Se você já atua na área da saúde e deseja prosseguir nos estudos e se tornar um especialista no tratamento de feridas, então, comece sua pós-graduação em Enfermagem Dermatológica com ênfase na Avaliação e Tratamento de Feridas na Incursos. Amplie suas técnicas profissionais e se torne referência no mercado de trabalho.



Fonte: Tua Saúde

Imagem: Freepik