Um estudo pré-clínico publicado na revista Cell Metabolism demonstra que a substância usada na pesquisa restaura a produção de insulina em pacientes com diabetes tipo 2. No procedimento realizado, ao bloquear a proteína VDAC1 nas células que produzem insulina, foi possível reverter o caso de Diabetes tipo 2. A pesquisa também mostra que é possível prevenir o surgimento da doença.

Os pesquisadores da Universidade Lund, localizada na Suécia, acreditam que a substância que inibe a produção da proteína VDAC1 pode auxiliar no desenvolvimento de um novo tratamento para a diabetes tipo 2.

O professor e pesquisador principal, Albert Salehi, explica que "O objetivo é conseguir administrar a substância para pessoas recém-diagnosticadas com diabetes 2 para permitir que as células que produzem insulina voltem a exercer sua função. Ou, melhor ainda, usá-la com pré-diabéticos para prevenir o início da diabetes".


"Este estudo é pequeno e baseado em doações celulares de seis pessoas que faleceram e tinham diabetes tipo 2, além de experimentos limitados em modelos animais. Mais estudos são necessários para demonstrar como o bloqueio da VDAC1 afeta os tecidos dos rins, coração, músculos e gordura, por exemplo", diz Albert. Os resultados até agora têm sido promissores, e a equipe já patenteou o uso da substância no campo da diabetes.

Como a substância funciona?


As pessoas que possuem pré-diabéticos podem ter níveis elevados de açúcar no sangue por muitos anos antes de desenvolver diabetes tipo 2. Esse alto nível de açúcar começa uma série de processos que provocam danos ao corpo. Dentre eles, há o aumento da produção da proteína VDAC1, que libera energia da mitocôndria para outras partes da célula.

Quando há altos níveis de açúcar, no entanto, a quantidade dessa proteína aumenta, e ela se fixa na parede da célula. A energia (ATP) escapa da célula e faz com que ela morra por falta de energia. Isso dificulta o controle do açúcar no sangue, o que acaba causando complicações em órgãos como coração, rins e olhos.

No momento que os pesquisadores bloquearam a VDAC1 das células beta de órgãos doados por pessoas com diabetes 2, o fornecimento de energia foi restaurado e a produção de insulina foi então normalizada.

Esse mesmo experimento foi repetido em ratos com propensão a desenvolver diabetes. O resultado demonstrou que eles não tiveram a doença, e a produção de insulina se manteve por cinco semanas, momento em que o tratamento foi interrompido e os níveis de glicose voltaram a subir.

Metformina também ajuda


O estudo desenvolvido contou com a colaboração de pesquisadores também de Israel para obter a substância que impede a produção da proteína. No entanto, outro medicamento já existente também trouxe bons resultados: a metformina.

"Mostramos um novo mecanismo para o funcionamento da metformina nas células beta. O fato de que a metformina funciona não só fora do pâncreas, mas também protege as células beta e produção de insulina em pessoas com diabetes tipo 2 foi recentemente demonstrado por um grupo de pesquisadores canadenses. O efeito é provavelmente atingido pelo impacto no VDAC1", diz Salehi.

Diabetes tipo 2


A diabete tipo 2 é uma das doenças mais frequentes do mundo, afetando mais de 400 milhões de pessoas. O problema é que cerca de 200 milhões nem sabem que têm este diagnóstico. Ela é causada pela genética e também por estilo de vida. Uma dieta saudável e exercício físico frequente podem ser tratamento suficiente para alguns, enquanto outros precisam de medicamento.

Se você atua na área da saúde e deseja ampliar seu conhecimento, comece sua pós-graduação na Monte Pascoal. Aperfeiçoe suas técnicas profissionais e se torne destaque no mercado de trabalho.



Fonte: Engenharia É

Imagem: Envato Elements