A prega subcutânea é uma técnica utilizada para evidenciar o tecido subcutâneo e dessa forma evitar a aplicação intramuscular da insulina. É realizada, preferencialmente, com os dedos polegar e indicador formando uma espécie de pinça, sendo necessário manter esta posição antes da introdução da agulha até a retirada da pele após a aplicação. Esta prega deve ser feita de acordo com o comprimento da agulha utilizada e quantidade de tecido subcutâneo no local da aplicação.

Se tratando das agulhas com comprimentos de 4 e 5 mm, a prega subcutânea é dispensável, exceto crianças menores de 6 anos, facilitando a técnica de aplicação e rodízio. Para as regiões com escassez de tecido subcutâneo, é recomendável fazer a prega independente do comprimento da agulha utilizada.

Injeção subcutânea


A injeção subcutânea é uma técnica na qual um remédio é administrado, com uma agulha, na camada adiposa que fica por baixo da pele, ou seja, na gordura corporal, principalmente da região abdominal. Além disso, esse tipo de injeção costuma ser muito utilizado para administrar insulina ou, então, para aplicar enoxaparina em casa, sendo uma prática recorrente após cirurgias ou durante o tratamento de problemas que tenham surgido de um coágulo, como AVC ou trombose venosa profunda, por exemplo.

Como aplicar a insulina?


Como foi dito acima, normalmente, a aplicação de insulina se dá por meio de uma injeção subcutânea sendo considerada relativamente simples, desde que siga as seguintes instruções:

Juntar o material necessário - seringa com o remédio, algodão/compressa e álcool;

Lavar as mãos - antes de aplicar a injeção;

Passar o algodão com álcool na pele - para desinfectar o local da injeção;

Fazer uma prega subcutânea - segurando com o polegar e o indicador da mão não-dominante;

Inserir a agulha na prega de pele - preferencialmente em um ângulo de 90º, num movimento rápido, com a mão dominante, enquanto se mantem a prega;

Carregar no êmbolo da seringa lentamente - até que todo o remédio seja administrado;

Retirar a agulha num movimento rápido, desfazer a prega e aplicar ligeira pressão no local com o algodão umedecido com álcool, por alguns minutos;

Colocar a seringa e a agulha usadas em um recipiente seguro - feito de material duro e que não fique ao alcance de crianças. Nunca se deve tentar tampar novamente a seringa.

Esta técnica pode ser feita em partes do corpo que apresentem algum acúmulo de gordura, mas é importante que entre cada injeção se faça uma troca do local, mesmo que seja na mesma parte do corpo, deixando, pelo menos, 1 cm de distância do local anterior.

No caso de uma pessoa com pouca gordura corporal ou com uma prega pequena, deve-se inserir apenas 2/3 da agulha, para evitar chegar até ao músculo. Ao fazer a prega na pele, também é importante evitar fazer muita pressão sobre a pele, para não pegar músculo junto com o tecido adiposo.

Local da aplicação


Os locais do corpo mais apropriados para administrar uma injeção subcutânea são aqueles onde existe maior acúmulo de gordura, tais como:

Abdômen - a área em volta do umbigo é uma das maiores reservas de gordura corporal e, por esse motivo costuma ser mais utilizada como primeira opção para a administração de injeções subcutâneas. Além disso, no abdômen é mais difícil conseguir agarrar o músculo junto com a prega, tornando-o um local bastante seguro para a administração da injeção.

O principal cuidado que se deve ter na região abdominal é o de fazer a injeção com uma distância superior a 1cm do umbigo.


Braço - esta região corporal também contém certos locais de acúmulo de gordura, como a parte de trás e lateral da região que fica entre o cotovelo e o ombro. Nesta área pode ser mais difícil fazer a prega sem segurar músculo e, por isso, é preciso ter atenção para separar os dois tecidos antes de administrar a injeção.

Coxas - também possui mais acúmulo de gordura, principalmente nas mulheres. Embora não seja o local mais utilizado, a coxa pode ser uma boa opção quando já se utilizou o abdômen e os braços várias vezes seguidas.

Possíveis complicações


A injeção subcutânea é bastante segura, porém, como em qualquer técnica de injeção de medicamentos, existem algumas complicações que podem surgir, como por exemplo:

Dor no local da injeção;

Vermelhidão na pele;

Pequeno inchaço no local;

Saída de secreção.

Estas complicações podem acontecer em qualquer caso, mas são mais frequentes quando é necessário fazer injeções subcutâneas por períodos muito longos.

Se você atua na área da enfermagem e quer dar um passo à frente na sua carreira profissional e fazer a diferença no mercado de trabalho, conheça e faça já sua matrícula na especialização em Enfermagem Urgência e Emergência e Enfermagem em UTI "Dupla Certificação" no Instituto Monte Pascoal. Se torne um especialista no assunto e se destaque no meio profissional.


Fonte: Tua Saúde e BD

Imagem: 123RF