A inflamação nada mais é do que nosso corpo respondendo quando o organismo se encontra diante de uma infecção por agentes infecciosos como bactérias, vírus ou parasitas, veneno ou por alguma lesão, calor, radiação ou trauma. O pus diferente do que muitas pessoas pensam, não é uma substância produzida pelas bactérias mas sim, pelo próprio sistema imunológico. Enquanto o abcesso é formado pelas células de defesa criam uma parede em volta do processo inflamatório, encapsulando-o e isolando o material purulento. Já a empiema é a acumulação de pus que ocorre em cavidades naturais do corpo. Entenda melhor do que se trata cada situação e tire suas dúvidas sobre estas causas.

Inflamação


Para esclarecer sobre o processo de inflamação, um exemplo clássico que pode ocorrer é quando uma pessoa coloca um piercing em determinada região do corpo, porém, o procedimento é realizado sem assepsia adequadas e com isso, bactérias conseguem entrar pelo orifício de entrada do piercing, causando uma infecção na área.

Quando microrganismos estranhos entram em contato com nosso meio interno, rapidamente eles são identificados pelas células de defesa do corpo humano, normalmente pelos macrófagos. Essas células imediatamente liberam mediadores inflamatórios que agem aumentando a circulação de sangue local para facilitar a chegada de mais células de defesa. É como se fosse um alarme para chamar reforços.

O reforço vem pelo sangue, através dos leucócitos. Esses leucócitos precisam atravessar a parede do vaso para chegar no tecido infectado e combater as bactérias. Mais uma vez, os mediadores inflamatórios ajudam, aumentando a permeabilidade dos poros dos vasos sanguíneos.

Esse processo facilita a saída das células brancas, principalmente dos neutrófilos, mas também de proteínas e plasma, o que provoca edema no local por excesso de líquido.


Neste momento temos os sinais típicos de um processo inflamatório, sendo eles:

Inchaço ou edema;

Dor ao tocar;

Vermelhidão ou rubor;

Sensação de calor.

Esse processo inflamatório descrito ocorre em qualquer situação de agressão, seja por infecções, por trauma, artrite, por queimaduras, doenças auto-imunes, entre outras.

Pus


Como já foi dito, o pus é produzido pelo nosso sistema imunológico e é o resultado final da ação das nossas células de defesa, os glóbulos brancos, contra as bactérias que estão causando a infecção. Além disso, o pus é formado por células sem vida, soro e outros componentes. Este líquido viscoso, cuja tonalidade pode ir do amarelo a um tom mais próximo do verde aparece como resultado da segregação de um tecido que, em geral, sofre algum tipo de infecção.

Quando o pus produz uma inflamação cutânea que se pode observar a olho nu, cria-se aquilo que se chama de pústula ou, se o inchaço for muito grande, furúnculo. No caso em que o pus se acumula num tecido fechado, pode ocasionar o aparecimento de um abcesso.


Outro detalhe que é importante ressaltar também é que o pus se forma apenas em pessoas que tenham o sistema imunológico funcionando normalmente. Isso significa que as pessoas que possuem baixa contagem de neutrófilos, doenças graves ou que são imunossuprimidos, etc., não têm esse processo que ajuda a atacar bactérias que invadem o organismo, elas nem mesmo conseguem criar um processo inflamatório, em muitas das vezes.

Abcesso


Abcesso é o nome dado quando uma bolsa cheia de pus é formada em alguma região do corpo. Isso ocorre em situações em que as células de defesa apresentam dificuldades em derrotar determinadas bactérias invasoras, e por essa razão criam uma parede em volta do processo inflamatório, encapsulando-o e isolando o material purulento, impedindo que as bactérias contidas nele possam migrar para outras regiões do corpo.

Assim como o pus, o abscesso é uma forma de defesa do organismo. No entanto, ao mesmo tempo que o abscesso impede a saída de bactérias ele também dificulta a chegada de antibióticos e novos glóbulos brancos. Muitas vezes, o abscesso precisa ser abordado e drenado cirurgicamente para que se possa curar a infecção totalmente.

Por mais que muitos casos de abscesso ocorram na orelha devido a aplicação incorreta de piercing, o mesmo pode se formar em qualquer órgão sólido, como fígado, rins, pulmão, cérebro, entre outros. A presença dele indica uma infecção grave, geralmente com febre alta, suores, calafrios e outros sinais de sepse.

Empiema


O empiema é a acumulação de pus que ocorre em cavidade naturais do corpo, como por exemplo nas pleuras, nas meninges, articulações, vesícula, etc. Enquanto no abscesso o corpo cria uma bolsa especificamente para "guardar" o pus, no empiema, esse espaço já existe na nossa anatomia natural.

Se você atua como enfermeiro (a) e deseja saber de maneira aprofundada sobre a área dermatológica, conheça e se matricule na especialização em Enfermagem Dermatológica com ênfase na Avaliação e Tratamento de Feridas do Incursos. Dê um passo à frente na sua carreira profissional e faça a diferença no mercado de trabalho.



Fonte: Tua Saúde, Conceito.De e MD.Saúde

Imagem: 123RF